Postado em 20 de Maio de 2019 às 17h33

    SEU CIÚME É NORMAL?

    Casais (33)

    Algum nível de ciúmes é necessário em todo relacionamento. Todos nós, alguma vez, já o sentimos. As pessoas costumam dizer que o ciúmes é o tempero do amor, aquela pitada que o incrementa, mostrando que o interesse de um pelo outro permanece aceso. A presença de ciúmes é saudável nas relações amorosas. O ciúmes serve como um sensor. Sua ausência, tanto quanto seu excesso, pode prejudicar o relacionamento.

    Muitas vezes reações de ciúmes são esperadas, por exemplo na descoberta de uma infidelidade.Também quando não há intimidade suficiente no relacionamento, o ciúmes pode se intensificar, pois o companheiro tenta desesperadamente seguir por uma estrada onde a sinalização não é clara e por isso fica testando o relacionamento o tempo todo.

    Quando o ciúmes se torna excessivo, ao invés de fazer bem ao relacionamento, acaba tendo o efeito oposto, muitas vezes afastando o companheiro. Na ânsia de não perder a pessoa amada, o ciumento cerca os passos e sua liberdade de seu parceiro de tal modo, invadindo seu espaço pessoal e sua privacidade, ferindo seus sentimentos com acusações infundadas, que afrouxa os laços que os uniam. O controle que o ciumento excessivo tenta ter sobre o seu parceiro vai "sufocando" a vítima do ciúmes, que se afasta cada vez mais para poder "respirar". Seus atos, suas amizades, seu trabalho, seus pensamentos, suas fantasias e lembranças, tudo parece ameaçar a segurança do ciumento. O ciúmes doentio faz com que sua vítima se sinta cada vez mais ressentida com a falta de confiança do companheiro em seu comprometimento para com ele.

    De modo geral, o ciúmes muito intenso é sinal de dificuldades emocionais.

    A desvalorização de si mesmo, a baixa estima, é uma das causas importantes do ciúmes intenso. Pessoas seguras de si, de seu valor, costumam lidar bem com seus sentimentos de ciúmes, não se deixando levar por eles e até fazendo com que revertam em proveito do próprio relacionamento. A segurança contra a competição é a grande arma destas pessoas.

    Outro fator que podemos apontar como fator do ciúme excessivo é o medo da intimidade, que é utilizado neste caso para distanciar o parceiro neste caso. Mas não só da intimidade sexual, da intimidade como um todo, de poder mostrar-se ao outro como realmente se é.

    Outro fator que pode levar à desconfiança e ao ciúmes descontrolado é a mudança no comportamento do parceiro, que pode ser interpretada pelo companheiro como sinal de que pode estar havendo ou haver maior oportunidade de traição.

    A diminuição da frequência sexual de um dos companheiros pode ser uma destas mudanças.

    O aumento do interesse do parceiro por eventos sociais, amigos e outros assuntos que não faziam parte do contexto deixam o ciumento de “orelhas em pé” sobre o que "parecia sobre controle".

    Um fator importante em todos os casos de ciúmes demasiado é a prevalência da fantasia em lugar da realidade, que alimenta esta emoção. Pensamentos e/ou imagens distorcidos aumentam o ciúmes, o que leva a novos pensamentos e/ou imagens distorcidos, em um círculo vicioso.

    O ciumento excessivo, muitas vezes, deve "perder o medo de perder, para não perder". Manter um equilíbrio entre o medo de perder o parceiro e as evidências reais de perigo de abandono é essencial para o ciúmes sadio.

    A ajuda psicoterapeutica é indicada se há ciúmes excessivo. A psicoterapia individual pode ser bastante útil nestes casos. A psicoterapia de casais pode ser indicada paralelamente, isto dependendo da especificidade do caso, que deve ser avaliada pelo psicólogo.


    Ieda Dreger
    Psicóloga e terapeuta sexual

    Veja também

    Superando os problemas com amor23/05/16 Superficialmente, este parece um problema grande demais para ser enfrentar. Quando falamos de amor, queremos dizer toda a síndrome, incluindo os sentimentos de paixão, desejo, os aspectos negativos da solidão e da rejeição, a instituição do casamento, a separação e, naturalmente, os problemas sexuais, invariavelmente ligados aos problemas do amor. Na......
    Afinal, quem deve mudar?24/05/16 Uma das questões com que sou confrontada frequentemente na terapia de casal diz respeito às mudanças. Claro que quase todas as pessoas que buscam terapia de casal buscam também mudanças, geralmente do outro. Mas......
    Casais com infertilidade, como ficam?24/05/16 Vivemos numa sociedade em plena mutação de valores e de hábitos. Atualmente o casamento e a gestação de um filho passam a ser coisas que podem ser pensadas separadamente, denunciando uma nova ordem social e moral; os valores......

    Voltar para Blog