Postado em 24 de Maio de 2016 às 17h06

    Insegurança, como resolver?

    Personalidade (33)

    Um dos motivos que mais leva as pessoas a buscarem o serviço de psicologia é a insegurança. E como ela é reconhecida? É quando você sente dificuldade grande em realizar uma tarefa mesmo que tenha plena capacidade para a mesma. Ou seja, você tem conhecimento sobre o assunto mas não consegue expor, sente-se travado. Outras vezes você não tem consciência que sabe sobre o assunto. Nunca se deu a oportunidade de trazer esta capacidade a tona, e no entanto, tem a crença de que não consegue. Esta crença não lhe permite prosseguir, nem ao menos tentar.

    A insegurança aparece também nas pequenas iniciativas do dia a dia, ir ao clube, ao cinema, almoçar fora de casa sozinho, puxar conversa com alguém interessante. Até na hora de buscar ajuda de um psicólogo, fica aquela angústia: “o que os outros vão pensar”, “o que eu vou falar”, “será que consigo pagar”, etc.

    Claro que a única forma de conseguir é tentar. Mas se você tem tentado com freqüência e não tem conseguido, isso vai te colocando a cada dia mais para baixo, então está na hora de buscar ajuda. Porque as próprias tentativas frustradas vão te dando a idéia de não conseguir e você passa a acreditar nisso.

    O que está por trás da insegurança é sempre um medo, medo de ser rejeitado, medo de que as coisas não dêem certo, medo de ficar só, medo de ficar pobre, de ficar desempregado, etc.
    Em outros momentos o medo da reação da outra pessoa, o que ela vai fazer, dizer, de que forma vai se comportar, vai ser agressiva, humilhante, etc. Qualquer possibilidade de se deparar com uma situação ou pessoa difícil lhe tira o ânimo de tentar e vem uma voz dizendo: fique fora desta, você não vai dar conta. E a insegurança se junta com a baixa autoestima.

    A gente percebe que a pessoa é insegura quando adia interminavelmente as coisas, “ depois eu faço”, e não faz nunca. Adia uma conversa, adia uma compra, adia uma atitude, adia um curso, adia sua terapia.

    A Insegurança pode ser a base para uma depressão e também de crenças irracionais, aquelas que não fazem sentido, tipo: preciso fazer tudo correto sempre para que me amem ou preciso ser maravilhosa para que me olhem. São pessoas que sempre buscam o valor de si próprios pelo que os outros dizem. Mas é uma atitude que trás extremo desconforto e sofrimento.

    Como uma pessoa fica insegura? Algumas pessoas já tem uma personalidade insegura, outros passaram por tanta dificuldade na vida, por eventos incapacitantes, que deixaram a pessoa mais sensível e mais inseguro. Mas é certo dizer que o inseguro sente-se inferior.

    E associa-se neste quadro a desesperança. Ela é a sensação de que não tem o que fazer, a sensação de não ter forças para mudar nada. O que trás a culpa. De qualquer forma a pessoa se acha um fracasso.

    O que está errado? O autoconceito, que é a forma como a pessoa se vê. Geralmente as pessoas tem um autoconceito cheio de erros de interpretação. Na verdade passam a se ver como uma pessoa que tem pouco valor, quando, se interpretado de outra forma, tem muito valor. Apenas não explora seus valores.

    A psicoterapia auxilia neste sentido, ou seja, que você possa ir reconhecendo os seus valores. Reconhecendo você, suas habilidades, seus defeitos, olhar a si mesmo de uma forma madura, completa, cheia de carinho, a fim de deixar brotar habilidades escondidas e de ver com atenção mudanças necessárias.

    Para cada situação existe uma solução, para cada pessoa também. Se você tem problemas, busque soluções. Viva a vida de forma plena.

    Por Ieda Dreger

    Veja também

    Como culpa e autoestima se ligam?24/05/16 O sentimento de culpa permeia a vida de muitas pessoas e é um dos componentes que leva a depressão, junto com o medo e a depreciação. O psicólogo e médico Luis Chiozza já disse que todas as pessoas sentem culpa. Alguns psicólogos defendem inclusive que a depressão vem da culpa e da depreciação de si mesmo. A culpa pode amargar a......
    Você mais feliz!24/05/16 Aprenda a expressar a sua raiva! Porque engolimos a raiva com tanta freqüência mesmo sabendo que faz mal? Por três motivos: medo de perder o amor do outro, desejo de evitar conflitos, e proteção da própria......
    Um papo sobre casamento: fases & crises24/05/16 Muitas pessoas me perguntam a respeito de fases onde as crises são mais propícias no casamento. A meu ver, determinados eventos podem acontecer no decorrer da união, apesar de não poder haver uma generalização destes......

    Voltar para Blog