Postado em 24 de Maio de 2016 às 11h17

    Brigas: a culpa é de quem, dele ou dela?

    Casais (31)

    Ao chegar em casa, ele olha com raiva para ela, parece que nada dá certo e ele já sabe o que vai acontecer em seguida. Ela vem com uma cara amarrada, provavelmente dizendo que alguma coisa esta quebrada ou alguma coisa de errado ele fez. Ele sente que a vida está um inferno e a culpa por isso.
    Para sermos justos.
    Ele chega em casa, jogando sua pasta em qualquer lugar e em ato continuo paletó gravata sapato etc e tal. Ela olha a bagunça e pensa como sua vida é um inferno. Cadê aquelas palavras de carinho? E pior, daqui a pouco vai querer trepar como se tudo estivesse bem, ou pior nem vai querer trepar. Ele não ouve o que a está perturbando.
    Perigo!
    Perigo!
    Esses sentimentos de frustração e de responsabilizar o outro pelo nosso vazio na vida normalmente se transformam no mais intoxicante e destrutivo fator para um casamento.
    Não podemos esquecer o mais triste, quando um dos parceiros diz "eu estou infeliz" em geral o outro homem ou mulher diz "não, você está complicando tudo e não me ama mais". O outro está com medo de perder o parceiro querido e obviamente, em pouco tempo a cena volta a ocorrer, mas os personagens trocam de lado.
    É preciso lembrar que talvez a sublime beleza de um relacionamento seja tentar vencer o medo, olhar para a infelicidade do seu parceiro e, de alguma forma, apesar do medo, olhar para o rosto do seu companheiro e querer mudar, não por ser "moderninho", mas por ser a possibilidade de continuidade desse casamento, dessa relação.
    É preciso entender que quando alguém diz que está infeliz é preciso ouvi-lo e amá-lo para ajudá-lo na mudança e, com isso, ajudar o próprio casal a mudar.
    Quando alguém pede socorro (em geral esses "socorros" são mudos e surdos nos casamentos) e não é atendido, esse socorro produz ,e como produz, rancores e mágoas, que muitas vezes no final acabam se resumindo sempre na velha e infeliz frase "a culpa é dela (e)".
    Casar, apesar do que muitos pensam, é mudar e é olhar para o outro para saber para onde mudar.
    Casar é olhar para o outro. Casar é lutar com o outro pelo bem estar do casal e não contra o outro.
    É lutar contra a vontade de apenas culpar o outro pelas suas dores.
    Dizer que a culpa é do outro é uma saída para não olhar seus próprios problemas e dificuldades. É mais fácil, mas vamos empurrando nossos desacertos com a barriga. Às vezes terminamos uma relação e entramos em outra achando que “o outro” é culpado pelos problemas. Se você não está feliz,não adiante responsabilizar unicamente o outro por isso. Procure em você as responsabilidades também. O outro não tem o dever de nos fazer felizes, isso seria peso demais. Ele pode nos ajudar, mas a responsabilidade está em nós.
    Manter uma relação não é fácil, estar sozinho também não. Busque compreender onde estão os seus problemas e procure formas de resolvê-los, em conjunto ou separadamente. Mas não se acomode.

    Por Ieda Dreger. 

    Veja também

    Educação é dever de quem?25/05/16 Uma das coisas mais difíceis que existe nesta vida é educar um ser humano, pois que demanda a nossa atenção por um tempo bastante longo se não por toda a vida. Alguns fatores apontam as causas da falta de limites na educação das crianças de um modo geral, destacando os valores morais que sumiram do nosso cenário, diante do enorme número de......
    Mimar filhos, um ato de amor?24/05/16 Na maioria das vezes, a simples perspectiva de gerar um filho já enche os futuros pais de alegria e amor. Esses pais passam a cultivar a idéia de serem os provedores e guardiões deste pequeno ser. Para aqueles que decidem investir nesta......
    Você tem medo da Paixão?24/05/16 A paixão é comparada ao fogo: intensa, forte, quente, envolvente e extremamente sedutora. Não manda aviso que está chegando nem pede licença para entrar em sua vida. Algumas pessoas temem a paixão pelo......

    Voltar para Blog