Postado em 24 de Maio de 2016 às 15h00

    Comemorações de Natal e Ano Novo são só alegrias?

    Gerais (41)

    Quando chega esta época, ouço muito em meu consultório as pessoas falarem de cansaço, mas também dos preparativos das festas de Natal e de virada de ano, dos planos para o ano que inicia e coisas do gênero.
    Mas há também um grande número de pessoas que fica triste nesta época do ano. Sim triste, e porque?
    Porque parece que paira no ar uma cobrança de felicidade. Claro que para algumas religiões o motivo de comemoração é o (re)nascimento de Cristo e isto é um motivo de comemoração. Mas me pergunto se toda esta alegria que nos cobram não é também algo imposto, mercantilizado. Será que existe um dia específico do ano onde todos estarão alegres apesar do cansaço do ano, do cansaço dos preparativos das festas, e outros? Será que existe um dia do ano onde todas as coisas são esquecidas e perdoadas, como se tivessem passado uma borracha na história da humanidade? Bonito seria, sublime seria, mas não é isso que acontece. Tem gente que não sabe perdoar, tem gente que perdeu alguém e quer chorar, tem gente que não tem o que comer e isso não muda no Natal. E as pessoas sofrem porque não estão felizes nesta data, porque não estão com vontade de comemorar, porque não estão como são cobradas para estarem. Os problemas não terminam porque é Natal.
    Vejam, felicidade não é algo que se regula dentro do peito, tipo: dia 25 de dezembro vou acordar feliz! O Natal da felicidade, da comemoração, pode ser todos os dias, ou em outros dias quaisquer.
    E neste sentido trago o apelo do Ano Novo também. Comemoração e listas de coisas que queremos fazer. Pulinhos pra cá, sementes pra lá. E começa o ano e duas semanas depois as listas vão sendo esquecidas. Todos os dias pode ser um novo ano em sua vida. Não espere o fim do ano para se decidir a recomeçar seus planos, para fazer listas, não deixe o tempo passar, recomece todo dia e principalmente, siga em frente aquilo que começou. Pare de buscar desculpas, pare de se boicotar, de esperar mais uma semana. O novo emprego? Corra atrás. Ficar sozinha ou namorar? Experimente. Um novo curso? Busque, pesquise, tem cursos a distância, tem cursos presenciais, as possibilidades são inúmeras. Mas busque soluções e não justificativas para o que não fez.
    Não é obrigatório estar feliz nos festejos de Natal e virada de ano, mas não é sensato estar triste por coisas que você simplesmente deixou de fazer. Sabe aquela coisa de chegar no fim do ano e fazer um levantamento dos progressos do ano e perceber que nada evoluiu? Isso trás uma imensa sensação de fracasso. E isso é responsabilidade sua. O que você deixou de fazer para estar assim?
    Pense e mude, nada muda se você não mudar.

    Por Ieda Dreger. 

    Veja também

    A difícil arte de educar nos dias atuais25/05/16 Educar é um assunto corrente em consultório de psicologia. A necessidade de colocar limites é sempre muito questionada, tanto pelos filhos como entre os novos e dedicados pais. Muitas pessoas viveram em sua própria educação a experiência de duros limites, constituídos em regras e proibições. Autoridade era misturada com Autoritarismo, a sabedoria......
    Um papo sobre casamento: fases & crises24/05/16 Muitas pessoas me perguntam a respeito de fases onde as crises são mais propícias no casamento. A meu ver, determinados eventos podem acontecer no decorrer da união, apesar de não poder haver uma generalização destes......
    Educação é dever de quem?24/05/16 Uma das coisas mais difíceis que existe nesta vida é educar um ser humano, pois que demanda a nossa atenção por um tempo bastante longo se não por toda a vida. Alguns fatores apontam as causas da falta de limites na......

    Voltar para Blog