Postado em 24 de Maio de 2016 às 17h20

    Ciúme é o tempero do amor?

    Personalidade (34)

    Dizem que o ciúme é o tempero do amor. Até pode ser, desde que nenhuma das partes derrame uma colher bem cheia dele no relacionamento. Medidas a mais resultam em brigas, términos de namoro e, em alguns casos em violência.

    Aproximadamente 20% dos homicídios cometidos são causados pelo ciúme, apontam algumas pesquisas.

    O ciúme deixa de ser normal quando passa a dominar o relacionamento. Quando a pessoa se deixa dominar pelo ciúme, ela coloca de lado tudo o que lhe dá prazer, tudo o que é bom no seu relacionamento, e passa a espionar, espreitar, buscando fatos e coisas que provem a infidelidade do outro.

    Identifico vários exemplos de exagero presentes no dia-a-dia de muita gente. Você quer saber quem ligou para ele, de quem é aquele número registrado no celular, de quem é aquele bilhetinho, por que ele demorou tanto tempo na padaria e ainda não trouxe tudo o que você pediu, etc.

    O ciumento exagerado como uma pessoa com dificuldade de enxergar o outro.

    Ele acha que o namorado/a deve satisfazer apenas as suas vontades. Não admite que ele se relacione com os outros, com o trabalho, o esporte. Ele quer sempre o outro por perto. Por isso, controla.

    O ciumento vê motivos para desconfiar do parceiro, sem que realmente haja indício. É como se fosse um delírio. Para ele, aquilo é coerente. Ele sente que seu afeto está sempre em risco.
    Para quem sofre de ciúme, alerto que o risco de perder estende-se para ambas as partes. Ninguém tem certeza absoluta de que terá o outro para sempre. Se a relação é boa, os dois vão se afastar para viver, trabalhar e estudar, e vão retornar. A distância deixa os dois mais ricos para trocar entre si.

    Outra falha cometida pelos ciumentos é o esquecimento de que eles tiveram capacidade de despertar o interesse do outro por suas qualidades. O ciumento costuma ser muito inseguro e tem baixa auto-estima.

    Lembro aos casais que vivem o problema que amor é construir com a pessoa, dividir planos e afinidades e ter admiração pelo outro. Não tem nada a ver com amor destrutivo, inveja e agressividade verbal ou física.

    Para quem convive com o ciumento, importa se cuidar para não entrar em uma fria e não se culpar. O problema é dele. Para o ciumento, o conselho é se cuidar e, se for preciso, buscar ajuda profissional.

    No entanto é preciso também lembrar que existem pessoas que, por insegurança pessoal fazem de tudo para provocar ciúme no outro. Neste caso, é o provocador que está inseguro e precisa de ajuda.

    Infelizmente, poucas pessoas se acham predispostas a aceitar que o ciúme excessivo é um problema pessoal e subjetivo. Poucas consideram a possibilidade de que ele não corresponda à realidade. A maioria delas não percebe que seu ciúme exagerado pode destruir um relacionamento, mesmo que exista o mais forte, puro e verdadeiro amor. Afinal, você quer perder de vez a pessoa amada?

    Sinais que indicam ciúme exagerado

    • Não aceitar que o parceiro faça um programa (com amigos, por exemplo) sem a sua companhia;
    • Mexer nas coisas pessoais do seu parceiro (gavetas, armários, pastas, bolsos, carteira, celular etc...);
    • Sentir a necessidade de saber sempre onde o outro está. Ligar para casa dos amigos para confirmar a sua presença ou aparecer no local;
    • Preparar armadilhas. Pedir a alguém que se insinue ao seu parceiro para ver qual a reação dele;
    • Desconfiar de tudo e de todos;

    Se você percebe que seu ciúme é excessivo e está atrapalhando seu relacionamento, procure rever suas atitudes e se não conseguir mudar, busque ajuda de um psicólogo.

    Por Ieda Dreger

    Veja também

    Insegurança03/05/16 Você sabia que um dos motivos mais frequentes de busca de psicoterapia (psicólogo) é a insegurança? Sim, muitas pessoas tem a insegurança atrelada no seu dia a dia, mesmo que ela esteja revestida de outro sintoma. Como conseguimos saber se somos inseguros? Não é difícil perceber. Geralmente os inseguros sentem dificuldade em realizar uma tarefa mesmo que......
    "Eu preciso de você" - Um amor por necessidade24/05/16 Quando temos a experiência de amar por necessidade em vez de querer estar com o outro porque o amamos, corremos o risco de sofrer e perder a identidade. Uma das características da infância é a dificuldade em dividir as coisas.......
    Um papo sobre Tolerância! O que você sabe sobre isto?24/05/16 Quando falamos ou pensamos sobre tolerância, geralmente nos vêm á cabeça a palavra SUPORTAR, e eu quero sugerir, para este papo, a tradução espiritual (não religiosa) de RESPEITAR E ENTENDER, e isso faz toda a......

    Voltar para Blog